quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Assim se termina. E assim se começa.


E lá veio a notícia: encontrei a casa dos meus sonhos.

Após 3 meses à procura e depois de uns 3 mediadores imobliários me terem dito que aquilo que eu queria era impossível de encontrar e, sobretudo, ao preço que eu queria, eis que o mediador caído do céu (ou melhor, caído da agenda de uma das minhas afilhadas, que é prima dele) me telefona um dia a dizer: "Acabei de ver os detalhes de uma casa que é, sem tirar nem pôr, aquilo que me descreveu. Diga-me depressa quando a podemos ir ver."

E eu fui. E apaixonei-me. Caramba... eu tinha idealizado uma data de características que, juntas, faziam a casa dos meus sonhos. Depois convenceram-me de que ela não existia. E de repente, em pleno Dezembro, ela ali estava, com uma vista brutal sobre o Tejo!

Começou-se a tratar de tudo e no dia 26 de Dezembro estava a assinar o contrato. Que é como quem diz, com o timming perfeito para a família não ter o aviso prévio necessário para me entupir no Natal com panos de cozinha, lençóis às flores e toalhas aos lacinhos!

E, de chave para o sonho na mão, digamos que tive um encerrar de 2012 e início de 2013 cheio de entusiasmo! A Vida tem sido tão generosa e eu... bem, eu só consigo dizer que não tenho espaço em mim para tanta gratidão.

5 comentários:

sad eyes disse...

Eu qd voltei para Lisboa, comecei a procurar casa e encontrei a casa que queria em 3 dias :p
Ainda gosto muito dela :)
abc

Pepper disse...

e eu já tou à espera do convite para jantar! :P

Backpacker disse...

Não sei não Pepper... a ideia é que o prédio continue a ser bem frequentado :P

um coelho disse...

O que mais detesto na procura de casa é quando o nosso contacto começa a circular entre vários vendedores e a certa altura todos te querem impingir casas que não gostas, e não param de ligar porque encontraram 'a tal'...

João Roque disse...

Eu sou muito conservador na questão de casa.
A minha primeira casa, após saída de casa de meus Pais, ainda na Covilhã, foi a única que ali tive.
E só mudei, porque vim a morar aqui para baixo, e há 17 anos que vivo na mesma casa; não será a casa dos meus sonhos, mas sinto-me bem por cá...