segunda-feira, 12 de março de 2012

A dúvida

Entre as reuniões, as deslocações de trabalho, os julgamentos, os congressos e os contratos;
Entre os jantares, os copos, os passeios, as caminhadas, o ginásio e as sessões de cinema;
Entre o curso de História de Arte, os livros e as viagens,
Não encontro mais espaço nenhum livre na agenda.

E, como dizia a B no outro dia, quando se constrói e estrutura uma vida para um só é difícil ter espaço para alguém que apareça... se é que a agenda deixa que apareça alguém.

Será que me estou a tornar num cabrão egocêntrico?

10 comentários:

João Roque disse...

Não, apenas tens que refazer a agenda, incluindo nela uma rubrica muito importante: felicidade!

sad eyes disse...

CONCORDO João.
Não há erro maior do que achar que em dado momento só tens tempo para ti.
Mas talvez ainda precisas de compreender o que é vida a dois...
abc

Backpacker disse...

Pinguim: não concordo contigo. A felicidade está nesta agenda, espalhada por todas as rubricas... repudio por completo esse preconceito de que só as pessoas que têm cônjuge/namorado(a) é que são felizes.

Sad Eyes: não disse que tenho tempo só para mim. Tenho tempo para mim, para a minha família, para os meus colegas e para os meus amigos. Só me parece difícil ter tempo para mais alguém que apareça.

Anónimo disse...

Muito provavelmente estás a descobrir o cabrão egocêntrico que tens dentro de ti! Mas, deixa lá, faz tudo parte da tomada de consciência sobre o quão vil e cruel é o mundo G.; e considerando o teu percurso algo me diz que vais descobrir muitas outras coisas... ;-)

Backpacker disse...

Anónimo:

1 - Não acredito que exista um "mundo G": existe um mundo. E que, por acaso, não acho que seja vil ou cruel... bem pelo contrário :)

2 - Não percebo a parte do "(...) considerando o teu percurso (...)": a que te referes?

Speedy the Turtle disse...

nah. Se aparecer alguém, rapidamente arranjas espaço na agenda. Agora vê lá se estás atento.

Anónimo disse...

Mas é claro q existe um mundo G. e existem muitos outros paralelos. Existe a partir do momento em que existem pessoas à nossa volta que não fazem a mínima ideia das vidas "duplas" que muita gente leva... (e não estou a dizer que seja o teu caso, longe disso)! O "meio G" (e não me refiro às plumas e lantejoulas) é por demais recheado de intrigas, invejas e falsas amizades/ligações. As pessoas não páram de nos surpreender pela negativa! E na outra parte do meu comentário referia-me aos elementos que vais dando do teu percurso. Eu próprio também trilhei um percurso similar e a cada ano que passa não me vejo estar + próximo de ver as coisas melhorarem em termos de relacionamentos e amizades (infelizmente)...!

Backpacker disse...

Desconheço essa realidade G, de intrigas, invejas e falsas amizades/ ligações... como dizia uma amiga minha, isso de mundos paralelos é coisa do Murakami :)

Quanto ao resto, parece-me que o facto de ter uma vida pródiga em relações leais, fortes e consistentes não só me deixa seguro no presente como muito optimista quanto ao resto do "percurso" a percorrer... apenas não quero vir a tornar-me uma pessoa muito virada para mim e para os meus, em deterimento de uma vida em que possa existir mais alguém ;)

João Roque disse...

Não foi isso que eu disse, quando referi que devias arranjar tempo para felicidade.
A forma como escreveste o texto é que pressupõe algo contrário: dá a entender que a tua "felicidade" não tem espaço para uma vida a dois e isso eu não concordo.

Backpacker disse...

Ok, entendido!

Desde que concordemos que a rubrica "FELICIDADE" pode estar inteiramente preenchida com ou sem cara-metade, fine by me :)