quinta-feira, 29 de março de 2012

The Circle of Life (ou as ocasiões em que devíamos fechar a boca)

Conversa de colegas ao pequeno-almoço:

Eu - Na sexta-feira passada estive a ver "O Rei Leão 2".

Ele - Eu nem sequer vi o primeiro.

Eu - Tu NUNCA viste "O Rei Leão"???

Ele - Não...

Eu - Mas isso é uma falha brutal! O filme é fantástico... uma das melhores produções da Disney!

Eu - Poupa-me... Aquelas palhaçadas do "ah e tal the circle of life" e os bichinhos todos...

Eu - Não sejas cromo. O filme é lindíssimo: as cores, as paisagens, a mensagem de amizade e amor e de luta pelos sonhos e a noção de pertença a um todo... é isso que faz as pessoas felizes, sabias?

Ele - Não. Segundo a tua teoria é a penetração.




E pronto. Há um dia qualquer em que um gajo diz que dar beijinhos não é sexo (a não ser que tenhamos uma visão pré-adolescente da coisa) e nunca mais pode filosofar sobre o sentido da vida. Fundamentalistas.

6 comentários:

sad eyes disse...

então tu achas que o que faz as pessoas felizes é a penetração lol

Backpacker disse...

Opá, eu só tinha dito uns dias antes que cá para mim sexo a sério tinha que envolver penetração... LOL

João Roque disse...

Não estou nada de acordo, mas cada um tem a sua visão do assunto...
A penetração é apenas mais uma variante do sexo e não a sua prioridade, segundo o meu entender.

Anónimo disse...

Lá está: "sexo a sério"... Para mim faz sentido a questão da penetração como elemento que consuma o acto no seu pleno! Naturalmente que o sexo não se resume à penetração, pelo que não deixa de existir sexo pela ausência da mesma, até por existirem outro tipo de actividades sexuais que nos podem levar a atingir níveis de envolvimento muito alto...

um coelho disse...

ahahah, adorei este post. Na altura não gostei muito do filme, mas depois de ver o musical mudei completamente.

Backpacker disse...

O filme é fantástico :)